14 de jan de 2014

Corrida e atividades na academia: hora de complementar seu treino

Foto: Shutterstock


Bike indoor, ginástica localizada e aula de alongamento são importantes para os dias de intervalo das corridas, pois elas trabalham o corpo todo


Academia não é uma unanimidade entre os corredores. Alguns entendem a importância de malhar e praticar outras atividades mas simplesmente não curtem o ambiente, e acabam não frequentando. Ou às vezes não têm tempo mesmo, têm que aproveitar esse tempo que seria da academia para descansar em casa. E outros adoram e frequentam com regularidade o ano todo. Como a musculação já foi discutida algumas vezes, agora vamos olhar para algumas atividades clássicas das academias e relacioná-las com a corrida - aula de bike indoor, aula de ginástica localizada e aula de alongamento. Todo corredor pode fazer essas atividades? A princípio sim.

A aula de bike indoor, por exemplo, é uma boa atividade para fazer nos dias de intervalo de corrida, é um bom trabalho para o sistema cardiorrespiratório e para os músculos das pernas, além de ser uma atividade mais suave para as articulações e calorias a mais para a conta da semana. Atente-se ao ajuste da bike, não hesite em pedir ajuda ao professor para auxiliá-lo, um ajuste errado pode potencializar uma lesão. Não pedale sem carga, mesmo em um comando de “carga leve”, procure um mínimo de resistência (e pelo menos uma carga moderada nas posições em pé).

Mais importante do que pedalar rápido ou devagar e com pouca ou muita carga, o que trará benefícios aqui é a prática regular e um pouco de todas as cargas e intensidades. Existem corredores (e não corredores também) que não se adaptam à atividade, mesmo seguindo as orientações e treinando corretamente - ora sentem o joelho, ora a coluna. Aula de bike não faz mal, talvez isso seja uma particularidade do seu organismo. Nesse caso, não faça, procure alguma outra atividade (o transport por exepmplo).

A ginástica localizada é uma aula que combina exercícios de musculação em sequência e uma contagem para a turma. A prática regular permite que você consiga trabalhar a musculatura do corpo todo. Geralmente os intervalos entre os exercícios são mais curtos aqui, se você já está acostumado com a musculação, talvez suas cargas tenham que ser mais leves do que as que você usa para malhar. Preocupe-se primeiramente em terminar a aula e se sentir bem.

E com o tempo e prática você vai ajustando a intensidade para você. Os exercícios para os glúteos são bem comuns nas aulas e as meninas adoram. Muitos rapazes não o fazem por que ficam com vergonha, mas deveriam: pode ser que você consiga aplicar mais força na corrida ou ser mais econômico nas passadas por ter esses músculos mais fortes e resistentes. Experimente fazê-los. Vale a pena uma conversa rápida com o professor sobre as suas necessidades como corredor, talvez um ou outro exercício seja incluído, retirado ou substituído da sua aula. Não insista em exercícios que causem dor.

A aula de alongamento pode ser um momento de relaxamento ou de tensão para os corredores. Se você já é regular nessa atividade, provavelmente já consegue relaxar um pouco mais e com isso absorver melhor os exercícios de amplitude muscular e articular. Uma aula por semana já permite que você colha benefícios. Mas se alongamento é novidade para você, vá com calma, você não vai se tornar flexível logo nas primeiras semanas.

Respeite o tempo do seu corpo e não se empolgue excedendo as suas capacidades, isso não vai acelerar o processo. Não alongue sentindo dor, talvez isso não faça bem. Alongar errado ou em excesso também pode machucar. E lembre-se que apenas alongar não é aquecimento para correr.
Fonte: Globo Esporte | Gustavo Luz Távoa é educador físico, treinador de
 corrida e triatlhon desde 2006 e praticante há quase 15 anos.
Bons treinos!
Equipe Fast Runner
Por Fast Runner

Siga a Fast Runner também no Instagram: @lojasfastrunner ou clique aqui.

Nenhum comentário:

Postar um comentário