5 de out de 2010

As 10 melhores cidades para ciclistas

São crescentes iniciativa para a utilização de meios de transporte sustentáveis, entre eles o principal é a bicicleta, que segundo a ONU é o veículo mais sustentável do planeta.

Ciclista em Trondheim, na Noruega, utilizando o "elevador".

Uma pesquisa do site Askmen indicou as dez cidades mais bem preparadas para os ciclictas. Foi levado em conta políticas públicas de planejamento urbano e cultura de cada região.

Amsterdã:
as bikes são como carros, fundamentais, e respondem por 40% das locomoções diárias da população.
O trânsito é adaptado para as bicicletas, resultado de um trabalho sistemático, iniciado no final da década de 70.

Copenhagen:
foi a primeira cidade no mundo a promover o empréstimo público de bicicletas, um modelo que depois se espalhou por vários países da Europa e da América. O governo dinamarquês afirma ter mais bicicletas que seus 510 mil moradores.
Cerca de 40% da população utiliza bicicletas diariamente. As bicicletas podem embarcar em ônibus e metrôs.

Bogotá: a cidade possui a maior malha cicloviária da América Latina: são 350 quilômetros de vias destinadas ao tráfego de bicicletas. Aos domingos outros 110 quilômetros de ruas são abertos apenas para bicicletas como parte do programa ciclovia. Na Colômbia apenas 13% da população possui carros.

Curitiba:
possui 120 quilômetros de ciclovia para 1,8 milhões de habitantes. Estima-se que 86% dos ciclistas usam a bicicleta para ir e voltar do trabalho. A bicicleta representa 5% dos meios de transporte utilizados pela população da cidade.


Montreal:
a cidade foi a primeira da América do Norte a adotar um sistema público de aluguel de bicicleta e atualmente, o programa conta com mais de 5000 bicicletas disponíveis para locação em mais de 400 estações.
Na cidade há de 600 quilômetros de ciclovias, e recentemente foram investidos 134 milhões de dólares para renová-las e deixá-las mais seguras.

Portland:
é considerada pela League of American Bicyclists a melhor cidade norte-americana para andar de bicicleta. Tem mais de 480 quilômetros de ciclovias e conta com um programa comunitário que disponibiliza bicicletas aos cidadãos de renda mais baixa (todas equipadas com capacete, cadeado, bomba para encher pneu, mapas e capas de chuva).
Cerca de 9% dos habitantes de Portland utilizam a bicicleta em seus deslocamentos diários

Basiléia:
a cidade possui ciclovias, estacionamentos e faixas exclusivas para ciclistas, no lado esquerdo da via, com sinalização adequada e mapas com as melhores rotas.
Existem também ciclovias que ligam Basileia a outras partes da Suíça, ou seja, dá até pra viajar na magrela por lá. Mesmo na zona rural os ciclistas contam com segurança e sinalização. A bicicleta é utilizada em 23% dos deslocamentos diários.

Barcelona:
foi lançado em 2007 o Bicing, programa de empréstimo de bicicletas; há cerca de 100 postos espalhados por toda a cidade. Com um cartão, o usuário pode emprestar uma bike em um dos postos e devolver em qualquer outro. A cidade ainda tem uma ciclovia que rodeia toda a área metropolitana da cidade e existem 3250 vagas de estacionamento para bicicletas em ruas e garagens subterrâneas.


Pequim:
a China tem tradição na utilização da bicicleta. O excesso de veículos tornou o trânsito caótico e os deslocamentos mais lentos, e para fugir dos congestionamentos, a população retomou o velho hábito de andar de bicicleta de um lado para o outro da cidade. Hoje existem cerca de 10 milhões de bicicletas espalhadas pela cidade.


Trondheim:
cerca de 18% da população utiliza a bicicleta diariamente como meio de transporte, apesar das íngremes subidas da cidade. Mas o governo local solucionou esse problema projetando "elevadores" para as bicicletas. O primeiro foi inaugurado em 1993. Basta colocar um dos pés no suporte metálico que, guiado por um trilho, empurra o ciclista ladeira acima.



Veja também:


Nenhum comentário:

Postar um comentário