30 de jan de 2013

Pedal na chuva

Foto: Bike Magazine/ Divulgação


Descubra quais são os segredos para andar de bike com chuva ou em estradas molhadas


Com o verão e as temperaturas elevadas, tornam-se cada vez mais comuns as pancadas de chuva no final da tarde ou até mesmo durante o dia. Mas isso não precisa ser um motivo para cancelar um treino ou um passeio, pois basta tomar alguns cuidados com a segurança durante o pedal.

Equipamentos
Antes de sair para pedalar, e isto vale também para o tempo seco, é fundamental verificar as condições dos freios e a calibragem dos pneus. Usar uma blusa impermeável ajuda a manter a parte superior do corpo seca e aquecida. Além disso, uma aba no capacete pode proteger o rosto dos pingos mais grossos.

“No caso de chuva, os óculos devem ter as lentes um pouco mais claras, para permitir uma melhor visibilidade. As luvas também são importantes, pois melhoram a aderência ao guidão e protegem as mãos. Em qualquer acidente, por mais bobo que seja, as mãos são a primeira parte do corpo a tocar o solo”, disse Marcos Hallack, triatleta profissional e treinador de ciclismo.

Nunca é demais lembrar que a chuva diminui a visibilidade dos motoristas, que geralmente ficam com os vidros e retrovisores dos carros embaçados. Por isso, quanto mais atenção o ciclista chamar, melhor. “O ideal é usar o pisca sempre, mesmo durante o dia, pois é preciso se mostrar no percurso”, afirmou Cadu Polazzo, treinador. “Usar roupas com cores vivas também é uma boa opção para despertar a atenção dos veículos”, completou Marcos.

Controvérsia
A boa e velha capa de chuva também pode ser uma grande aliada para se defender da água, mas muitos atletas preferem não usar este acessório e contestam sua eficiência. “Ela até ajuda a proteger da chuva e manter aquecido, mas quando faço treinos muito fortes termino encharcado de suor. Ou seja, me molho de qualquer jeito, então não vejo vantagem”, afirmou Renato Diógenes, 24, estudante de educação física. “Acho que quando a chuva é muito forte a capa não ajuda muito. E também existe aquele velho ditado, ‘quem está na chuva é para se molhar’, por isso prefiro não usá-la”, brincou Maurício Paiva Filho, 42, advogado.

Atenção
Ao conduzir uma bicicleta na chuva, é preciso redobrar a atenção, pois a aderência com o asfalto é menor. O melhor a se fazer é deixar as manobras mais técnicas e arriscadas para um dia com melhores condições. Procure ser cauteloso nas descidas e antecipe ao máximo as freadas na curvas, pois a eficiência dos freios fica comprometida com a água, que diminui o atrito. “Uma dica é sempre dar algumas freadas leves para tirar o excesso de água dos aros e das pastilhas, assim, quando precisar usar os freios, eles terão uma resposta um pouco melhor”, aconselhou Duda Bley, técnico da Limiar Assessoria Esportiva. “Com pista molhada, é bom manter certa distância e evitar andar no vácuo, pois a frenagem está comprometida. Além disso, o pneu traseiro joga água direto no rosto de quem está atrás e não dá para enxergar direito”, alertou Cadu.

“Na cidade é preciso tomar muito cuidado com as faixas de pedestres e as outras pinturas de sinalização no asfalto, pois elas ficam muito escorregadias com a água. Também é bom evitar poças d´água, porque nunca se sabe onde existe um buraco”, afirmou Marcos. 

Já na estrada, o melhor que pode ser feito é pedalar sempre mais próximo ao final da pista, de preferência em grupos, para aumentar a visibilidade dos carros. “Deve-se andar no canto do acostamento, sempre de dois em dois. Se o grupo estiver em um número ímpar, o que ficar sozinho vai à frente”, explicou Cadu.

Bom senso
Outro item indispensável ao se pedalar na chuva é o bom senso. Os ciclistas devem preservar a segurança e, para isso, é preciso verificar se condições da pista e de visibilidade são favoráveis para a pedala. Muitas vezes, é melhor perder quinze minutos ou um dia de treino do que correr o risco de sofrer um acidente.

“Se a chuva estiver muito forte, o melhor é parar em um posto, debaixo de um viaduto ou em qualquer outro lugar coberto e esperar ela passar”, orientou Cadu Polazzo. “Não existe nada melhor do que a precaução. A melhor coisa é optar por treinos mais tranquilos de rodagem em dias com a pista molhada e fazer os que exigem mais força e atenção quando estiver seco”, afirmou Marcos Hallack.

Tecnologia
Nos dias de hoje, os serviços meteorológicos são cada vez mais eficientes. Por isso, para evitar surpresas durante o treino, vale a pena dar uma olhada na previsão do tempo antes de sair para pedalar. “No verão, o melhor é evitar os horários de chuva, mas ela também sempre avisa antes de chegar. O que se pode fazer é olhar a direção das nuvens e ir para o outro lado”, indicou Cadu. 
Fonte: Prologo
Ótimas pedaladas!
Equipe Fast Runner
Por Fast Runner
Confira alguns produtos para CICLISMO no site:
Capacete Lazer Nirvana
Luva Castelli Team Garmin Roubaix
Pisca Laser Safe Light
Ciclo Computador Cateye VELO 8






Nenhum comentário:

Postar um comentário