10 de out de 2013

Corredores novatos podem preparar musculatura através da hidroterapia


Foto: Shutterstock

Iniciantes na modalidade, principalmente aqueles acima do peso, podem se machucar se não tiverem orientação profissional e treino adequado


Algumas pessoas resolvem virar atletas da noite para o dia e, geralmente, escolhem a corrida. “Hoje é segunda-feira, quero emagrecer, vou correr e parar de comer”, pensam, sem preparo prévio ou orientação. É o sonho de todos que estão acima do peso.

No entanto, quem está começando a correr e pesa alguns quilos a mais pode se machucar seriamente e ter que interromper o treino. A falta de alimento pode gerar perda de massa magra, ou seja, perda de músculo, predispondo a lesões. Pedir orientação a um profissional especializado em corridas ou exercícios físicos em geral, a um nutricionista e a um endocrinologista, quando existir algum problema hormonal é essencial.

Deve-se evitar a realização de exercícios com fome ou sem se alimentar há mais de duas horas. Não adianta ficar sem comer. É necessário alimentar-se de três em três horas para estimular o metabolismo, ajudando na perda de gordura e no ganho de massa muscular. A nutricionista irá orientar a reeducação alimentar que, associada aos exercícios, promoverá o emagrecimento.

Antes de começar a correr, o melhor é preparar a musculatura, fortalecê-la para aguentar o impacto do exercício. Começar a caminhar primeiro e, de preferência dentro d’água, onde o peso corporal diminui até 100% dependendo da profundidade. Em seguida, trotar até conseguir correr e, paralelamente fazer exercícios com caneleira flutuante, para aumentar a resistência da água. O peso da água, em movimento, oferece resistência 14 vezes maior do que a do ar.

Desta forma, é possível fortalecer a musculatura sem sacrificar as articulações, diminuindo ou eliminando o peso corporal sobre as mesmas. Os exercícios se tornam mais agradáveis e fáceis de serem realizados. O leque de atividades aquáticas é muito grande, o que gera motivação, prazer e, consequentemente, saúde.

A respiração diafragmática deve estar presente durante toda a prática de atividade física. Assim, os resultados do trabalho realizado serão mais eficazes, aumentando também a resistência cardiorrespiratória.

Outro aspecto importante é o efeito da pressão hidrostática, ela atua como uma meia elástica, exercendo pressão - cuja intensidade aumenta da superfície para o fundo - em torno de todo o corpo. Ela massageia os gânglios linfáticos, realizando uma drenagem pela pressão exercida sobre eles, e inibe o hormônio antidiurético, nos fazendo urinar mais. Esta propriedade, aliada aos exercícios físicos, nos faz perder líquido através da drenagem linfática e do suor. Portanto, após atividade na água, é necessário hidratar-se bem.

Na água, serão realizados exercícios com dois objetivos: aeróbico, aumentando o condicionamento físico e perdendo peso, e localizado, para aumentar a força muscular. Ao final, alongamento e relaxamento.

Após todo este treino, o novato você estará capacitado a começar a trabalhar fora d’água, progressivamente e com orientação. Tomando todos estes cuidados, ele entrará na atividade física de uma maneira correta.

O exercício físico é ótimo para a mente e o corpo, mas deve ser apropriado para o praticante. Existem as diferenças características individuais, ninguém é igual ao outro.
Bons treinos!
Equipe Fast Runner
Por Fast Runner
Confira alguns produtos em nosso site:

           

Siga a Fast Runner também no Instagram: @lojasfastrunner ou clique aqui.

Nenhum comentário:

Postar um comentário