13 de jan de 2011

Zonas de tensão

A prova dos quilômetros que você correu não está apenas na sola gasta do tênis. Pode aparecer na forma de um brilho saudável no rosto, mas também de bolhas e assaduras — problemas pequenos perto de distensões ou fraturas, mas capazes de transformar qualquer trote rotineiro em suplício. O desconforto pode ser intenso a ponto de afetar o desempenho e obrigar o corredor a parar. Felizmente, grande parte desses problemas são fáceis de prevenir e de remediar.
  • Bolhas:
Essa é provavelmente a lesão número um dos dias de prova. Essas bolhas cheias de líquido são causadas por fricção, umidade excessiva (pés suados, clima úmido) ou por tênis muito grande ou pequeno ou com cadarços apertados demais.

Previna - Parece óbvia a recomendação, mas vale lembrar: compre tênis de corrida do tamanho certo — e o tamanho certo é o que reserva uma pequena folga no dedão. Como o pé pode expandir-se meio número ao longo do dia, compre o novo calçado no fim da tarde, ou à noite. Se está com uma bolha no dedão, a sugestão são as "meias dedinho", que se encaixam como luvas em cada dedo. Aplicar vaselina, pomadas ou curativos nas regiões mais propensas a bolhas também ajuda.

Trate - Ignore aquelas bolhas com menos de 5 milímetros (o tamanho de uma lentilha), pois não são doloridas. Mas se sentir dor, vale estourar. Com uma agulha esterilizada, fure a lateral da bolha e esprema até sair todo o líquido. Não remova a pele que cobre a bolha – em vez disso, aplique uma pomada antibiótica e um protetor, ou faça um curativo. Se surgir alguma sensibilidade durante a corrida, verifique as possíveis causas: meias amarrotando? Calcanhares escorregando dentro dos tênis? Cadarços apertados demais? Se a bolha dói a ponto de você ter que alterar sua forma de correr, é melhor caminhar em vez de se arriscar a sofrer uma lesão.
  • Assaduras:
Quando a pele raspa contra a própria pele ou contra a roupa, às vezes causa uma inflamação cutânea avermelhada que pode descamar, sangrar, arder e fazer você gritar de dor no banho depois da corrida. O suor no corpo, úmido e salgado, só piora a situação. Os pontos mais vulneráveis são as axilas, parte interna das coxas, área do sutiã (mulheres) e mamilos (homens).

Previna - Use roupas que absorvam a umidade, sem costura nem etiquetas e que fiquem certinhas no corpo: uma camiseta muito larga tem material em excesso, capaz de irritar a pele; um sutiã esportivo apertado demais pode causar ferimentos. Antes de correr, aplique vaselina, pomadas ou curativos adesivos para proteger os mamilos. E passe um hidratante após o banho.

Trate - Lave a área com sabão e água, aplique pomada bactericida e cubra com um curativo. Se você estiver usando uma pomada, roupas de boa qualidade e mesmo assim apresentar vermelhidão, procure um dermatologista. É muito comum confundir micoses com assaduras.
  • Unha preta:
Muitos maratonistas e ultramaratonistas têm as unhas dos dedos dos pés escurecidas – pois quanto mais se corre, mais se tende a ferir as unhas. E a coisa só piora se você enfrenta muitas descidas e usa calçados apertados – ambos fazem com que os dedos se esmaguem contra a frente dos tênis. Alguns atletas também encolhem os dedos quando correm e isso pode acabar causando uma irritação nas unhas.

Previna - Calce tênis do tamanho certo e corte as unhas regularmente: rente à ponta do dedo. As unhas compridas são mais propensas a ferimentos e as curtas demais podem encravar.

Trate - O hematoma na unha normalmente se cura sozinho em seis meses. Se a dor for muito grande, vá a um podólogo para drenar o fluido debaixo da unha (com um pequeno orifício na unha). E se o problema for crônico, um especialista o ajudará a diagnosticar se a causa é a instabilidade no dedão ou o encolhimento dos dedos durante a corrida. Nesses casos, uma palmilha pode ser uma boa solução.


Nenhum comentário:

Postar um comentário