25 de jun de 2012

L'Étape

Os triatletas Roberto Filho e Maurício Henry.
Resolvi fazer uma matéria sobre o L'Étape para explicar melhor a prova, entrevistando dois amigos e triathletas, o Roberto Filho e o Maurício Henry, que vão se aventurar pelas montanhas da França e contar um pouco como funciona essa prova. 
Eles me disseram que geralmente as etapas são divididas em duas, sendo uma delas mais plana e a outra nas montanhas. Esse ano as duas etapas são de subidas, olhe a altimetria da prova. A primeira etapa (8 de Julho) vai ser nos Alpes Franceses divisa com Suíça, são 152km de prova.
A primeira parte da prova inicia dia 8 de Julho e já com uma pancada de 332m de altitude (em Albertville, cidade cede dos Jogos Olímpicos de inverno de 1992) chega a uma elevação máxima de 2.068m, e tem uma ascensão total de 4.727m. Nessa primeira etapa tem uma subida HC (categoria de maior dificuldade no TOUR-HOURS CONCOURS) a subida é o Col de Madaleine 23,5km de subida em torno de 7% de ascensão. Fora esta são mais 3 subidas, Col de croix de fer, Col de mollard e Col de la Toussuire). A etapa finaliza em La Toussuire – Les Sybelles.
No dia 12, eles vão para Pau, onde rola a segunda etapa que tem 201km (Ocorre nos Pyrineus divisa com a Espanha) começando a 178m de altitude com um elevação máxima de 2.123m e um ganho de altimetria de 4.768m. Essa etapa tem 2 subidas HC, Col de Aubisque com 17km com 7,5 % de inclinação e o Tourmalet 20km com 7,8 % (essa subida é bem famosa no Tour).
Vamos dar uma olhada no perfil desses atletas e eles vão nos contar como estão se preparando para o L'Étape.

Nome: Roberto Costa Filho
Idade: 27 anos
Onde Treina: Marcos Paulo Reis

1 - Como começou a pedalar?
Comecei a pedalar forte mesmo com o Triathlon, antes fazia mountain bike nos fins de semana, mais sem acompanhamento de um treinador ou de uma planilha especifica. Nos finais de semana, sempre vou pra Campinas visitar a família, e lá por ser uma região que o pessoal anda bastante de bike Road pelas estradas do interior (Mogi mirim, Santo Antonio da Posse, Serra Negra, Vinhedo, Holambra, etc) acabei focando mais na bike! Foi daí que veio a ideia de fazer as 2 etapas do L'Étape neste ano.

2 - Como entrou para o Triathlon?
Eu sempre gostei muito de esporte, pratiquei natação e Tennis dos 5 aos 15 anos no Tennis Clube de Campinas, chegou uma hora que tive que escolher um esporte pra focar, escolhi o Tennis, dos 15 aos 23. Quando mudei para São Paulo fiquei meio perdido em achar um bom lugar para treinar e acabei começando a nadar e correr na academia.
Comecei o Triathon mesmo quando fomos eu e o Mauricio Henry, assistir no ano passado a quinta etapa do Troféu Brasil em Santos, achei a prova muito bacana, saí de lá com muita vontade de fazer uma prova daquela! Comecei a primeira prova mesmo na meia do RJ no ano passado e a primeira prova que fiz foi o Short no troféu Brasil, acho que terceira e quarta etapa.
A Prova mais bacana que fiz foi o Internacional de Santos este ano. Completei em 2hrs e 16min.

3 - Como decidiu fazer o L'Étape?
Eu decide a fazer o L'Étape por gostar muito do Tour de France, sempre assisti as etapas, e quando comecei a fazer os pedais mais longos, a cima de 150km, vi que dava pra fazer uma dessas etapas, aí já me inscrevi para as duas! Foi também desafio e a vontade de correr uma prova exatamente no mesmo lugar com as mesmas distâncias e características do Tour. O L'Étape tem o mesmo apoio e o mesmo trajeto, tudo igualzinho ao Tour, o pessoal fala que os franceses recebem o L'Étape igual ao Tour por terem uma tradição de longa data no ciclismo e pelo o visual da prova que é demais!

4 - O que mudou na sua planilha de treinos?
A planilha mudou bastante quando foquei no pedal, antes estava focado no triathlon (internacional de Santos e Troféu Brasil onde os pedais são mais focados para o plano e com transição), basicamente a mudança foi no tipo do pedal que passamos a fazer, pedais mais longos e com altimetria o mais próximo possível das 2 etapas do Tour (bastante subida). Não é fácil encontrar este tipo de subidas aqui no Brasil, os lugares que chegam o mais próximo da prova é algumas serras na região de Campos do Jordão,  Romeiros e alguns lugares próximos a Serra Negra e Morungaba. Outra mudança também foi a diminuição das corridas, deixei de fazer os treinos longos que eram nas sextas-feira, pois os pedais longos eram nos finais de semana . A natação continuou igual.

5 - Qual o último equipamento que adquiriu?
Último equipamento que adquiri foi um pedivela compacto para as subidas.

7 - Qual seu lugar preferido para pedalar?
Gosto de Pedalar em estradas, prefiro estradas menos movimentadas, a estrada saindo de Campos pela Serra Velha até Monteiro Lobato é muito bacana e o visual é muito bonito, além do movimento de carros que é pequeno (maior segurança para o ciclista). O asfalto está novo e a temperatura é ideal para os pedais mais longos.
O que eu acho que encaixa melhor o treino é pedalar com uma galera mais ou menos com o mesmo ritmo e com a mesma experiência que a sua, o pelotão fica mais seguro e evita acidentes.

Maurício Henry
Idade: 30 anos
Onde treina: Marcos Paulo Reis

1 - Como começou a pedalar?
Eu comecei a pedalar com uns 12 anos na companhia do meu pai em Campinas, a gente fazia Mountain Bike em Souzas e Joaquim Egídio. Quando eu tinha 20 anos corri minha primeira prova de MTB, fiz as 12 horas do Serra Azul. Depois dei um tempo do pedal e voltei a pedalar por causa do triathlon há pouco mais de um ano.

2 - Como começou o triathlon?
Eu sempre tive vontade de fazer triathlon, mas não sabia com quem e onde treinar. Quando um amigo meu que treinava na MPR me levou para treinar junto com ele, gostei e treino até hoje.

3 - Como decidiu fazer o L'Étape?
Sempre gostei de ciclismo e ano passado devido ao triathlon, acompanhei o Tour de France e decidi fazer o L'Étape, meu amigo Roberto também estava afim e nos inscrevemos.

4 - O que mudou na sua planilha?
Nos últimos 2 meses parei de correr e aumentei muito o volume do pedal.
Nos finais de semana tenho longos de até 250km. E durante a semana pedalo 3 dias, totalizando uns 200km.

6 - Quais os últimos equipamentos que adquiriu?
Comprei 5 pneus Continental, 1 cassete Shimano Durace, 1 coroa, 1 corrente Durace e 1 selim Arione.

7 - Qual o lugar que mais gosta de pedalar?
Eu gosto de pedalar em Campinas, na estrada que vai para Mogi, com meus amigos.

Conheça mais sobre o L'Étape:
https://www.dropbox.com/s/hv5qb6vt62ztfho/APRESENTACAO%20le%20etape%202012%20%282%29.pdf

Por Nina Keller

Confira alguns produtos relacionados:
Pneus Continental
Cassetes Shimano
Coroas
Correntes Shimano Dura Ace
Selins Arione
Pedivelas

Nenhum comentário:

Postar um comentário