24 de out de 2012

Chão para correr

Saiba as vantagens e desvantagens dos diferentes pisos disponíveis para você treinar e como inserir cada um em sua planilha de treinamento


O que os corredores mais buscam na corrida é melhorar o desempenho. E a busca por esta performance pode ser mais prazerosa (e provável) quando aliada a algo que tire o atleta da rotina dos treinos. Por isso, as mudanças de piso na hora de praticar o esporte são sempre recomendadas pelos especialistas. Além do tão comum asfalto, grama, areia, terra batida e até esteira são as opções de pisos para a corrida. Para o treinador Diego Lopez, utilizá-los nos treinos de forma variada é importante também para alinhar as cargas em determinadas regiões do corpo, por exemplo.

“Variar os pisos é bom para trabalharmos com mais ou menos sobrecarga nos diferentes grupos musculares e aliviarmos, em alguns casos, as articulações, como no chão de trilha, que proporciona mais sobrecarga muscular e menos impacto nas articulações”, exemplifica o diretor técnico da Trilopez Assessoria Esportiva. Para saber a quantidade ideal de cada um desses tipos de chão nos treinamentos, deve-se levar em consideração o calendário de provas e as características dessas disputas, e os tipos de treinos que serão feitos. Saber o nível de condicionamento físico também é importante, pois alguns casos exigem mais esforço do que outros. Veja abaixo algumas vantagens e também no que você deve ficar de olho quando for treinar:

ASFALTO
Prós: Bom e velho companheiro dos corredores, o asfalto é o terreno com o maior número de praticantes, já que a grande maioria das provas são realizadas ali. Nele há um aumento da resistência do atleta e média sobrecarga muscular.

Contra: “O impacto é bem grande, principalmente nas articulações”, revela Lopez. Quem corre somente neste piso pode sofrer mais com lesões, portanto a variação é imprescindível, além da ajuda de um treinador e um bom fortalecimento muscular.

ESTEIRA
Prós: Nela é possível controlar a velocidade e o tempo do treinamento, além das opções de inclinação e monitoramentos. A esteira proporciona um impacto menor que no asfalto.

Contras: É bem diferente da atividade física praticada no asfalto, já que na esteira você não faz esforço para seguir em frente, pois você salta o chão que se move. Mas ainda sim, é uma boa opção para dias de chuva muito forte, por exemplo.

GRAMA
Prós: A grama é um local bom para se correr, já que oferece um menor impacto ao corredor, não exigindo tanto dos pés e evitando lesões. Já as trilhas, com terra batida e até galhos, por exemplo, são boas opções para os treinos para corridas de aventura. Tudo com a devida orientação do treinador e de acordo com o planejamento e condicionamento físico, pois exige mais esforço do atleta.

Contras: Pode ser difícil encontrar um local apropriado para sua prática, já que buracos e variações na terra são comuns neste terreno, portanto todo cuidado é pouco.

AREIA
Prós: O impacto das passadas é bastante absorvido neste tipo de piso. “Mas ele exige bastante resistência muscular e estabilidade nas articulações, por isso é ideal para corredores mais experientes ou em treinos específicos para provas com esta característica”, indica Lopez. Portanto, treinos em areia fofa são muito indicados para o trabalho de resistência.

Contras: É considerado um treino pesado, podendo trazer um grande desgaste físico. Então o cuidado com o excesso é importante para não acarretar lesões.

CONCRETO
Contém maior impacto que qualquer outro tipo de terreno e não beneficia em nada o corredor. A prática da corrida deve ser totalmente evitada neste piso, já que pode gerar muitas lesões e poucos benefícios. 

Dica do treinador: “Pensando em um corredor que fará uma meia-maratona no asfalto, aconselho: intervalados e longos no asfalto; treinos regenerativos em trilhas, grama ou areia; avaliação de mecânica na esteira; trabalhos de base em trilhas com bastante subida e descida”, recomenda Lopez.

Fonte: Matéria publicada no site o2porminuto.com.br, novembro de 2011
Por Fast Runner
Confira alguns produtos para corrida:
Tênis Mizuno Wave Ultima 3
Meia de Compressão Nike Stability
Óculos Oakley Split Jacket
Cinto de Hidratação Fuel Belt Helium 4 Bottles
Sachê Gu Energy Gel

3 comentários:

  1. Esse é o tipo de reportagem que não acrescenta nada. Exatamente nada. Com exceção dos profissionais, os corredores normalmente não têm opção de escolher o piso. De maneira que seria mais interessante ensinar técnicas ou sugerir equipamentos (tênis) específicos para cada tipo de terreno.

    ResponderExcluir
  2. Boa dica !! E discordo do comentário aí em cima ... A gente tem chance de escolher o local pra correr, sim !!! Eu, por exemplo, posso optar por correr na areia, na esteira, no asfalto e por aí vai ...

    ResponderExcluir
  3. Show de bola este post.

    ResponderExcluir