3 de jul de 2013

Como evitar ou diminuir lesões na panturrilha durante a corrida


Foto: Divulgação/ deboraflores

A musculatura da 'batata da perna' deve estar fortalecida e alongada, pois se faz presente e atuante durante as nossas atividades diárias


A panturrilha na linguagem popular conhecida como “batata da perna” é o nosso segundo coração. Ela bombeia todo o nosso sangue de volta para o coração e exerce importante papel no retorno venoso. A musculatura envolvida tem os músculos potentes gastrocnêmio e sóleo. Esta musculatura deve estar fortalecida e alongada, pois está presente e atuante durante as atividades da vida diária. Quando estamos de pé, na posição estática e/ou na posição dinâmica durante a marcha, subida e descida de escadas. Na prática desportiva, como na corrida, estes músculos são muito solicitados.

Quando ocorrem as lesões? Quando não estamos preparados para uma grande sobrecarga de trabalho e impacto sobre as panturrilhas como corridas mais extenuantes, solos irregulares e não precisa ser necessariamente nas maratonas.

Ir a uma festa, ficar com sapato alto durante horas dançando se você estiver com a musculatura fraca pode levar a uma lesão na panturrilha. Existem as diferenças individuais, graus diferentes de força e alongamento muscular, amplitude articular que temos que estar atentos, respeitar o nosso corpo, saber o nosso limite. A lesão mais comum é o estiramento muscular do gastrocnêmio. A dor pode ser muito forte impossibilitando você de colocar o pé no chão. Deve-se, neste caso, procurar o ortopedista imediatamente. Dependendo do grau da lesão, o repouso pode ser absoluto, ou seja, não tocar o pé no chão utilizar muletas e/ou cadeira de rodas ou parcial podendo colocar carga reduzida sobre esta musculatura afetada.

O tratamento indicado é a fisioterapia aquática. No primeiro momento, não colocar o pé no chão, trabalhar em “deep water” utilizando a resistência da água. Empregamos o método bad ragaz para fortalecimento e alongamento suave da panturrilha. O fisioterapeuta oferece resistência manual progressiva respeitando o quadro álgico do paciente. Esta técnica permite ao fisioterapeuta trabalhar força, resistência e alongamento sem movimento, chamamos de trabalho isométrico que é muito utilizado nestes casos.

A recuperação desta musculatura é mais lenta. Na água, neste caso, trabalhamos com zero impacto, utilizamos as propriedades físicas da água como pressão hidrostática para diminuir o edema gerado pela lesão, o empuxo e a turbulência para gerar resistência contra o movimento para intensificar, o trabalho de força. O tratamento é realizado com a perna em extensão atuando na musculatura global sem incidir sobre a lesão diretamente.

É muito importante o pré-aquecimento antes de iniciar a corrida e o alongamento ao final para evitar lesões de uma maneira geral, principalmente neste caso. A musculatura deve estar preparada para receber cada tipo de carga, quando há sobrecarga e não há preparo, é mais fácil de ocorrerem as lesões.
Fonte: Globo Esporte 
Bons treinos!
Equipe Fast Runner
Por Fast Runner
Confira alguns produtos em nosso site:


PTO/ROS PTO/PTA/VERD       

Siga a Fast Runner também no Instagram: @lojasfastrunner ou clique aqui.

Nenhum comentário:

Postar um comentário