21 de nov de 2013

Previna-se: estatística alerta que 90% dos corredores já sofreram lesão


Foto: Shutterstock

Diversos fatores, fisiológicos e biomecânicos, contribuem para que as lesões aconteçam. Tratar a causa é mais importante do que cuidar dos sintomas


Corrida e lesão são duas palavras que andam juntas para grande parte dos corredores. Segundo pesquisas, a porcentagem de praticantes de corrida que já sofreram alguma lesão é de aproximadamente 90%. Não existe uma causa única para essa estatística preocupante, pois as lesões na corrida são, em sua maioria, multifatoriais. Ou seja, vários fatores contribuem para que uma lesão aconteça.

Embora ainda exista um longo caminho a ser percorrido neste assunto, pesquisadores já identificaram algumas das principais causas das lesões em corredores. Em relação ao treinamento, incluem-se: alto volume, ultrapassando 50km semanais, aumento brusco da carga e corrida em terrenos impróprios. Entre fatores fisiológicos, encontram-se nível de hidratação, condição nutricional e equilíbrio hormonal.

A biomecânica da corrida é um dos principais fatores quando o assunto é lesão. As articulações, músculos, ossos e cartilagens sofrem quando o corpo se move de uma maneira inadequada. Por exemplo, nas lesões anteriores do joelho, a articulação dobra mais do que deveria quando o pé toca o chão, por falha dos músculos da coxa. Na canelite, o tornozelo faz um movimento de pronação excessivo e muito rápido, por falta de atividade adequada de músculos da perna e do pé. Esses movimentos inadequados que geram uma sobrecarga lesiva sobre o corpo podem acontecer por falta de força muscular, instabilidade nas articulações, falta ou excesso de amplitude articular e quando os músculos, mesmo fortes, se contraem em velocidade e sequência inadequadas, o que é chamado de erro no controle do movimento.

Dentro da biomecânica, um dos grandes vilões nas lesões é o impacto do corpo com o solo. Impactos grandes e bruscos geram lesões como as fraturas por estresse, e contribuem para lesões nas cartilagens. Um nível de impacto maior do que o corpo suporta acontece, por exemplo, em pisadas inadequadas, onde o corredor aterrissa no chão de uma maneira muito brusca com o calcanhar e quando a musculatura responsável por amenizar o impacto (panturrilha, anterior da coxa, e glúteos) não exerce sua função de forma satisfatória.

O tratamento das lesões deve ser sempre focado na causa e não somente nos sintomas. Então, se o problema for excesso de treinamento, este deve ser ajustado para se adequar às condições físicas do atleta. Se o problema estiver na biomecânica, a alteração deve ser identificada e corrigida.

Como prevenção, mantenha a musculatura forte e rápida, siga orientações sobre um padrão de corrida adequado e uma rotina de treinamento que o faça atingir seus objetivos de uma forma saudável.
Fonte: Globo Esporte | Raquel Castanharo, fisioterapeuta, mestra em biomecânica da corrida na USP.
Bons treinos!
Equipe Fast Runner
Por Fast Runner
Confira alguns produtos em nosso site:

BCO/PTO/CZ     PTO          

Siga a Fast Runner também no Instagram: @lojasfastrunner ou clique aqui.

Nenhum comentário:

Postar um comentário